General Shopping prepara expansão de 30% da área

A General Shopping colocou os projetos de expansão, paralisados em 2008 após a crise, novamente em andamento. O resultado disso é que em 2011 ampliará em cerca de 30% sua área bruta locável, passando de 186 mil metros quadrados para 256 mil mil metros quadrados.

A empresa inaugurará dois shoppings, um em Barueri (SP) e outro no Rio de Janeiro, e aumentará outros dois. “Por causa da crise, os projetos se acumularam”, disse Alessandro Veronezi, diretor presidente e de relações com investidores da General Shopping. O investimento nessa empreitada não é revelado.

Com isso, o executivo não irá às compras neste momento, pois estará focados nos novos empreendimentos. Contudo, acredita que o setor passará por uma consolidação e está aberto a conversas desse tipo, embora não tenha nada em andamento neste momento. “O mercado não vai crescer tão rápido, e a consolidação será necessária.”

No quarto trimestre de 2009, a General Shopping teve lucro líquido de R$ 7,5 milhões, ante R$ 3,4 milhões de igual período de 2008. O avanço reflete, em boa medida, a melhoria nas contas financeiras: a despesa líquida caiu 38,5%, para R$ 9,1 milhões.

A companhia teve receita líquida de R$ 29,1 milhões, equivalente a um aumento de 1,8% sobre 2008. O número do último trimestre do ano passado foi afetado pela mudança na contabilidade do setor. Com isso, a receita dobrada do mês de dezembro (praxe do setor) precisou ser dividida em 12 meses e não pôde ser lançada toda no quarto trimestre como ocorreu em 2008. Sem essa mudança, a empresa teria crescimento de 11,2%.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (lajida ajustado) teve alta de 6,2%, na comparação anual, para R$ 22,7 milhões. A margem subiu de 74,9% para 78,2%. “Isso é principalmente ganho de escala”, destaca Veronezi.

A empresa fechou dezembro com dívida bruta de R$ 321,8 milhões e caixa de R$ 22,9 milhões. Como a General Shopping tem vencimentos de curto prazo de R$ 62 milhões neste ano, decidiu fazer uma oferta de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) no valor de R$ 60 milhões, com prazo de 120 meses.

“Dessa forma, liberamos nosso fluxo de caixa para nossa expansão”, afirmou Veronezi.

A General Shopping listou ações na Bovespa em julho de 2007, quando captou R$ 287 milhões. Desde então, fez oito aquisições. As ações da empresa acumulam queda de 31,4% desde a estreia. Ontem, a empresa era avaliada R$ 484,6 milhões na bolsa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: