OS CINCO ERROS MAIS COMUNS EM FRANQUIAS

Priscila Zuini, da EXAME.com

São Paulo, 18 de Maio de 2010 – É verdade que a taxa de mortalidade das franquias é muito mais baixa que a de outros tipos de empreendimentos e que isso leva muitos a acreditarem que este é um negócio com sucesso certo. Pense novamente. ‘Como negócio você tem mais possibilidade de dar certo, tem um risco reduzido, mas sempre existe um risco’, diz Marcus Rizzo. Uma pesquisa feita em 2009 indica que pequenos deslizes, como ter pouco caixa ou uma localização errada, podem colaborar com o fim da operação.
A empresária Ana Paula Bandeira Braga, 25 anos, administra atualmente sete franquias do Grupo Ornatus, mas para chegar a este ponto precisou aprender a lição da maneira mais dolorosa – principalmente para o bolso. Com menos de dois anos de experiência no ramo, Ana Paula recebeu duas propostas para iniciar operações em shoppings de Brasília. Uma das lojas foi fechada com apenas seis meses de funcionamento. A localização era inadequada. ‘O lugar tinha um bom fluxo de pessoas, mas não tinha o nosso público’, diz.
A outra loja ficava em um ponto do shopping de pouco movimento. Dessa vez, o problema não era a ausência do público, mas a dificuldade que as pessoas tinham em localizar a loja. ‘Negociamos por mais de dois anos para conseguir mudar de ponto’, conta. ‘Foi um aprendizado que custou um pouco caro, mas foi a melhor coisa que fizemos’, conclui.
Comprar a franquia é comprar um negócio que já foi testado e experimentado. O conhecimento que passa para o franqueado ajuda a reduzir o risco de quebra, mas sempre é possível estar dentro da minoria. Confira quais são os cinco erros mais cometidos pelos franqueados que levam ao fechamento.

1. Caixa pequeno
As especialistas recomendam começar um negócio com, pelo menos, três vezes o valor necessário indicado pelo franqueado. Isso serve para se proteger em períodos que o negócio não anda bem. ‘As pessoas colocam todos os recursos na instalação. Depois, falta dinheiro para o capital de giro’, diz Rizzo.

2. Desempenho nas vendas
Subestimar a importância das vendas é um erro comum. O maior problema é quando o franqueado delega a atividade de estar junto do cliente para um funcionário, principalmente no começo do negócio. O fechamento pode acontecer por um atendimento inadequado ao público.

3. Sucesso x Trabalho
Rizzo brinca dizendo que só no dicionário que o sucesso aparece antes de trabalho. ‘A idéia de que a franquia vai funcionar sozinha e não é preciso estar por perto é um erro’, diz. Investir em um modelo de negócio de franquia não é garantia de pouco trabalho e muitos ganhos.

4. Mudando as regras
Quem já tem uma experiência prévia com uma empresa própria acaba contaminando a franquia com ações antigas que não combinam com aquele modelo. Receber treinamento e as seguir as orientações do franqueador são importantes para que a franquia seja bem sucedida.

5. Localização errada
Assim como aconteceu com Ana Paula, a escolha inadequada de um ponto é um erro mortal e muito comum. O local que não tem consumidores para aquele mix de produtos leva ao fechamento da franquia. Não adianta estar em um lugar com muito movimento, mas sem o público-alvo.

Fonte: Portal Exame

image

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: