Escassez de pontos comerciais e alta do aluguel dificultam expansão de marcas

*Por Filomena Garcia

Na semana passada, falamos sobre a importância do ponto comercial e sobre como a escolha do local pode impactar diretamente o sucesso do seu negócio. No entanto, encontrar o local adequado, que atenda a todas as suas expectativas e satisfaça as necessidades da sua marca, está cada vez mais difícil. Tudo porque o país atravessa um momento bastante favorável.

O aquecimento da economia brasileira e o aumento da oferta de crédito bancário impulsionam a abertura de novas empresas ou a expansão de negócios já existentes. A expectativa de movimentação financeira que será gerada pela Copa do Mundo e pelas Olimpíadas colocou o Brasil no centro das atenções, atraindo investidores de todas as partes do mundo interessados em garantir a sua fatia desse bolo.

Por outro lado, a crise econômica na Europa aumentou o número de empresas estrangeiras de olho no tamanho do mercado brasileiro. O resultado de tudo isso é que vai faltar lugar para tanta gente.

Com a demanda por pontos comerciais muito maior do que a oferta, os preços de aluguéis e luvas dispararam, principalmente no eixo Rio-São Paulo. E puxaram a alta das tarifas complementares relacionadas ao ponto comercial, como condomínios e fundos de promoção de shoppings.

Muitas vezes, ao encontrar o local adequado para dar início ao negócio, o empreendedor se depara com um imóvel que chega a custar muito mais do que realmente vale. Os altos custos de ocupação podem até inviabilizar modelos de negócio, ao achatar a sua rentabilidade.

Lojas com mix de marcas são alternativa em franquias

Para tentar driblar esse problema, os empresários estão buscando alternativas para comercializar seus produtos e serviços.

Uma dessas estratégias é o “co-branding”, que permite que mais de uma marca opere no mesmo espaço. Esse formato já era utilizado no varejo e, devido ao sucesso desse tipo de operação, as franquias estão começando a adotá-lo, unindo diferentes marcas de uma franqueadora no mesmo local.

Uma das maiores vantagens desse formato é a economia com o ponto comercial. Para que esse modelo funcione, no entanto, é fundamental que as marcas que vão atuar juntas tenham sinergia, se complementando ou gerando algum tipo de conveniência para o consumidor.

Paralelamente a isso, a procura por pontos comerciais em supermercados, faculdades e hospitais também tem aumentado. Algumas redes acabaram optando pela expansão para o interior do país, fugindo do eixo das principais capitais.

Um reflexo dessa tendência é o grande número de shopping centers e empreendimentos comerciais em desenvolvimento em áreas antes pouco exploradas. Nesses locais, além dos custos de ocupação mais baixos, a concorrência geralmente é menor.

Por outro lado, esse caminho também apresenta desafios como a logística de distribuição dos produtos e a adequação do modelo de negócio para funcionar em cidades menores.

Para essa semana, deixo a vocês uma pequena provocação: quais das estratégias discutidas aqui poderiam ser adotadas pelo seu modelo de negócio?

*Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, é especialista em marketing e atua há 20 anos nas áreas de negócios, varejo e Franchising. É co-autora dos livros “Franchising – Uma estratégia para expansão de negócios e “Marketing para Franquias”

Fonte: UOL

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: