Mulheres empreendem mais no Brasil

*Por Filomena Garcia

O número de empreendedores no Brasil tem aumentado exponencialmente nos últimos anos. Atualmente o país possui 27 milhões de pessoas envolvidas ou em processo de criação de um negócio próprio, sendo que quase a metade, 49% desses empreendedores, são mulheres.

O percentual no Brasil já ultrapassa a média mundial de mulheres à frente de um negócio, que é de 37%. É o que nos revelam os dados da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor realizada em 2011.

Essa mudança do perfil de investidores também é percebida quando olhamos para o franchising (redes de franquias). Em quatro anos de operação da Franchise Store, é a primeira vez que o número de mulheres interessadas em investir em franquias supera o número de homens.

Constatamos através de um estudo que, no primeiro semestre de 2012, o número de mulheres superou em quase 20% o número de interessados do sexo masculino em relação ao mesmo período do ano passado.

Muitas mulheres optam por exercer seu empreendedorismo operando uma franquia – algumas já querem operar três ou quatro negócios antes mesmo da abertura do primeiro – porque esse é um modelo de negócio que pode ser gerenciado a quatro mãos, já que do outro lado existe a colaboração e expertise do franqueador.

Além disso, o risco do investimento é mais baixo quando comparado a um negócio novo, já que o modelo de negócio de uma franquia já foi testado anteriormente no mercado.

Outro ponto que tem levado ao aumento de mulheres à frente de um negócio é o avanço do sexo feminino no campo de trabalho. Há dez ou quinze anos, a grande maioria das mulheres possuía pouca experiência de mercado ou então nunca tinha trabalhado. Hoje, esse quadro é completamente diferente.

Podemos observar que cargos de liderança e alta gerência, que demandam  tomada de decisão, são ocupados cada vez mais por mulheres que entendem suas potencialidades e sabem como aproveitá–las.

Essa mudança no comportamento feminino, dentre outros fatores, tem gerado nessas executivas o desejo de empreender além da carreira. Buscando um “plano B”, executivos de ambos os sexos têm investido cada vez mais em franquias, pois esse modelo de negócio possibilita levar a gestão em paralelo com a atividade atual por um determinado período de tempo.

Muitos franqueadores veem com bons olhos uma mulher à frente da sua marca graças ao perfil de gerenciamento que elas apresentam. Além de serem mais avessas a altos riscos, elas são mais colaborativas.

Essa atitude é altamente desejável quando se está na gestão de uma franquia, que contará com a supervisão do franqueador para apoiá-la sempre que necessário. Além do que, para a marca que realiza expansão através de franquias, ter tanto homens quanto mulheres como franqueados é interessante e enriquecedor, pois são olhares diferentes para o mesmo negócio, trazendo contribuições diversificadas, porém sempre com foco na busca de melhores resultados.

A amplitude dos segmentos de franquias disponíveis hoje no mercado, com aproximadamente 2.000 oportunidades de negócios, facilita ainda mais a entrada da mulher que busca praticar sua veia empreendedora nesse mercado.

*Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, é especialista em marketing e atua há 20 anos nas áreas de negócios, varejo e Franchising. É co-autora dos livros “Franchising – Uma estratégia para expansão de negócios e “Marketing para Franquias”

Fonte: UOL

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: