2013 promete ser um bom ano para empreender

28/12/2012

*Por Filomena Garcia

Em um artigo anterior abordei as significativas mudanças que aconteceram em 2012 no mundo do empreendedorismo, como o início da mudança do perfil dos empreendedores, o lançamento de novas marcas e conceito de negócios. Mas, e para 2013? Quais são as perspectivas para o ano que está por vir?

Acredito que quem desenvolver sua veia empreendedora em 2013 terá um ótimo ano. Com a proximidade de eventos de âmbito internacional que acontecerão no Brasil, como a Copa das Confederações em 2013, a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas de 2016, o que não vai faltar é oportunidade de investimento em diversos setores.

Impulsionados por esses eventos, os segmentos do franchising que deverão crescer com importante destaque em 2013 serão principalmente os setores de alimentação, serviços, saúde e beleza, esse último devido à busca do brasileiro pela longevidade com saúde.

Mas, caso o empreendedor não tenha perfil para operar em uma dessas áreas, outros segmentos que prometem se destacar no próximo ano são construção, hotelaria, entretenimento, mobilidade, comunicação, logística e educação.

Marcas internacionais investem no país

Outro ponto que podemos ressaltar é o investimento de marcas internacionais no país. Devido ao ótimo momento econômico que o Brasil atravessa, várias marcas estrangeiras apostam na abertura de unidades em território nacional para a expansão da rede. Este ano já pudemos observar um aumento de marcas internacionais no país, em relação a 2011.

Em 2013, o interesse de empresários por realizar negócios no Brasil só tende a aumentar. Além do bom momento econômico que o Brasil apresenta, outro atrativo para as marcas estrangeiras apostarem no país é a excelente capacidade do empreendedor brasileiro de execução, de desenvolver novas oportunidades e de administrar grandes negócios.

E essa capacidade de administrar e gerir um negócio vem dessa transformação do perfil do empreendedor. Este ano observamos que o empreendedor que vem sendo atraído pelo franchising não está em busca somente de ter um único negócio próprio, mas sim  de poder investir e crescer com várias unidades de uma mesma marca, e para isso, esse novo empresário agrega toda a sua expertise desenvolvida como executivo em marketing, finanças e gestão de pessoas, ampliando assim suas possibilidades de sucesso.

Mulheres e jovens aumentam participação nos negócios

Outra mudança no perfil do empreendedor que impactou de forma positiva o mercado em 2012 foi o aumento de mulheres e jovens apostando em suas capacidades e investindo cada vez mais em franquias. E em 2013 a perspectiva é que esse novos empreendedores estejam cada vez mais presentes a frente dos negócios.

No final de dezembro, costumamos fazer nossas resoluções para o ano que está por vir, tanto no campo profissional quanto pessoal. Após uma reflexão, quem sabe 2013 não será somente um ótimo ano para o empreendedorismo no Brasil, mas para você  empreender também!

Desejo ótimas festas a todos e um ano de 2013 com muito empreendedorismo na veia!

Filomena_Garcia

*Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, é especialista em marketing e atua há 20 anos nas áreas de negócios, varejo e Franchising. É co-autora dos livros “Franchising – Uma estratégia para expansão de negócios e “Marketing para Franquias”

Fonte: UOL

Anúncios

Copa do Mundo e Olimpíada geram corrida por oportunidades

27/12/2012

*Por Filomena Garcia

Desde de 2011, notamos que alguns segmentos relacionados a serviços estão se destacando na preferência do empreendedor. As oportunidades ligadas à saúde, beleza, turismo, esporte figuram hoje entre as mais procuradas pelas pessoas que buscam abrir seu primeiro negócio.

Um dos fatores para esse movimento do mercado é a proximidade dos dois eventos esportivos mundiais que serão sediados no Brasil nos próximos anos: a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

De acordo com uma pesquisa desenvolvida pela Ernest & Young, estima-se que os investimentos para a realização desses eventos gerarão uma renda da ordem de R$ 63,48 bilhões.

O tamanho desse bolo tem mexido com o espírito empreendedor de muitas pessoas que, decididas a abocanhar a sua fatia, têm procurado investir em negócios ligados ao esporte, como escolas de futebol, lojas de tênis, artigos esportivos e academias. O setor de turismo e hotelaria é outro que também vem ganhando bastante atenção dos investidores.

Empreendedor deve estar atento ao mercado local

Além de movimentar a economia local, eventos dessa magnitude são responsáveis por gerar ótimas oportunidades não só para quem deseja começar a operar seu primeiro negócio, mas também para quem já atua no mercado.

Não é necessário, porém, aguardar por eventos dessa magnitude para descobrir grandes oportunidades. O empreendedor deve estar sempre ligado no que acontece em sua cidade ou mesmo no bairro em que atua.

Deve procurar conhecer as datas comemorativas da região e entrar em contato com a prefeitura ou com entidades de classe para se informar sobre eventos locais, como festas típicas e feiras.

Muitas vezes, esses eventos regionais já são capazes de produzir alterações significativas no comportamento do consumidor, impulsionando a demanda e proporcionando ótimas oportunidades para aumentar o faturamento do seu negócio.

Com base nessas dicas, você conseguiria identificar as oportunidades que estão ao seu redor e traçar uma estratégia para aproveitá-las?

Filomena_Garcia*Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, é especialista em marketing e atua há 20 anos nas áreas de negócios, varejo e Franchising. É co-autora dos livros “Franchising – Uma estratégia para expansão de negócios e “Marketing para Franquias”

Fonte: UOL


Samello é eleita a 4ª empresa mais admirada no segmento calçadista

26/12/2012

Pesquisa foi divulgada na revista Carta Capital

A Samello, marca de calçados masculinos, foi eleita a empresa mais admirada no Brasil no segmento calçadista, segundo pesquisa anual realizada pela Revista Carta Capital.

A revista realiza a pesquisa, que elege “As empresas mais admiradas no Brasil”, há 15 anos. Além de homenagear as principais companhias do país, essa edição especial, faz um raio-x do comportamento da economia brasileira e oferece as explicações de como cada empresa, e o respectivo setor no qual atua, enfrentou as dificuldades de um ano contagiado pelo pessimismo externo, amenizadas por medidas adotadas pelo governo federal com o objetivo de manter o ritmo de crescimento do País.

Há alguns anos, a Samello figura nessa pesquisa. Em 2011, a empresa ocupou o 7º lugar, posição entre as 10 mais do ranking, porém este ano a marca deu um salto e se fez presente em 4º lugar, se destacando como uma das empresas mais admiradas em todo o Brasil.

Graças a expansão da economia brasileira para América Latina, em 2012 a revista estendeu a pesquisa aos países vizinhos, criando um novo ranking das mais admiradas na América Latina.

Para saber mais informações sobre a Samello clique aqui.


Franquias de bijuterias têm investimento de R$ 60 mil a R$ 320 mil; veja opções

21/12/2012

As redes de franquias de bijuterias encontram um mercado amplo, para um público diversificado com produtos clássicos ou mais joviais. Os modelos de negócios variam. Vão desde quiosques a lojas de rua e em shopping centers. E o investimento inicial para abrir uma unidade franqueada é a partir de R$ 60 mil.

Uma pesquisa da Franchise Store feita com 24 mil investidores em 2011 aponta que o segmento de acessórios, que inclui bijuterias e calçados, foi o terceiro mais procurado. De 2006 a 2011, o faturamento do segmento cresceu 271%, segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising).

Para abrir um negócio no formato loja, há opções de R$ 260 mil, como a marca Nina Fiori; e R$ 320 mil, como a Empório Bijux.

Unidades começam a se especializar em produtos

Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, diz que o mercado de moda, em geral, tem crescido no Brasil, o que favorece as franquias de bijuterias. “Está havendo a entrada de novas marcas e novos modelos negócios. Inclusive, já há uma tendência a ramificação, com redes especializadas em anéis ou em presilhas, por exemplo.”

Para os interessados em ter uma franquia do segmento, ela diz que dedicação e afinidade com a área é fundamental. “O dono tem que estar presente no ponto de venda, mesmo que seja uma marca famosa. Isso motiva a equipe e pode agilizar decisões junto ao consumidor final”, declara.

Pesquisar o franqueador, ver sua experiência no varejo e o suporte que oferece aos franqueados também são ações úteis na hora de escolher a franquia. Optar por uma rede que ofereça treinamentos contínuos e faça um trabalho de marketing pode ajudar no sucesso do negócio, inclusive em momentos de baixa do mercado, segundo Garcia.

“O franqueador tem que estar antenado nas tendências de moda nacionais e internacionais. Se a marca estiver bem posicionada junto ao seu público, seu produto não será considerado supérfluo. Oferecer programas de fidelização e estar na vanguarda do segmento também ajuda a enfrentar as horas de dificuldade do mercado”, afirma.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

Fonte: UOL


Cuidados com a rede garantem sucesso da expansão da marca

20/12/2012

*Por Filomena Garcia

Em um artigo anterior, mencionei sobre a expansão por meio do franchising para o aumento da ocupação de mercado pela marca e seu posicionamento à frente da concorrência. Porém, ao expandir a rede pelo modelo de franquias, o empreendedor precisa ter certeza que o modelo do negócio está sendo replicado de maneira fiel ao original.

Enquanto a rede conta com três ou quatro unidades, o empreendedor consegue saber por conta própria o que acontece com cada uma delas e se todas oferecem a qualidade no atendimento que o consumidor da marca espera. Mas e quando a expansão da rede compreende dez, 15 unidades?

Muitas marcas de varejo contam com o apoio de um supervisor de loja, que é responsável por acompanhar a execução das tarefas e dar “feedback” (retorno) aos funcionários, organizar o planejamento de compras e análise de mercado varejista, estoque, coleção e aceitação do cliente. No universo do franchising, essas funções são exercidas pelo consultor de campo.

O consultor de campo é figura fundamental para a rede, já que o franchising parte da premissa que o DNA da marca deve ser utilizado por outra pessoa, o franqueado, e levado para regiões onde o empreendedor talvez não conseguisse chegar sozinho. A consultoria de campo é um dos principais canais de comunicação das estratégias e ações da franqueadora para a rede franqueada e vice versa.

O trabalho do consultor consiste principalmente em realizar visitas as unidades franqueadas, conferindo se o know-how está sendo aplicado e se a ponta, no caso a franquia, entrega para o consumidor a promessa da marca através dos seus serviços e produtos.

É de extrema importância que o consultor de campo esteja alinhado com a sua marca e com seu modelo de negócio, para que ele possa sanar as dúvidas do franqueado com precisão e, quando necessário, apontar durante a visita, quais pontos devem ser melhorados, já que o crescimento saudável da rede depende do bom funcionamento das unidades já existentes.

Ao realizar a visita, o consultor pode auxiliar o franqueado a montar um plano de negócios e orientá-lo quanto a melhorias na gestão da unidade e no incremento de vendas.

É imprescindível que o consultor alie conhecimento, habilidade e atitudes. Conhecimento sobre a marca, mercado de atuação e concorrência; habilidades como marketing, desenvolvimento de pessoas, legislação, comercial e financeiro; atitude para passar o feedback da visita para o franqueado, independentemente de o resultado ser positivo ou negativo.

Uma equipe qualificada de consultores de campo ou de negócios, como também é conhecido, é fundamental para que uma rede de franquias possa crescer de forma estruturada, oferecendo continuamente um ótimo suporte para seus franqueados.

 

Filomena_Garcia*Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, é especialista em marketing e atua há 20 anos nas áreas de negócios, varejo e Franchising. É co-autora dos livros “Franchising – Uma estratégia para expansão de negócios e “Marketing para Franquias”

 

Fonte: UOL


Grupo Di Santinni inaugura 11ª loja em Pernambuco

19/12/2012

Grupo Di Santinni,  varejista especializado na comercialização de calçados, inaugurou em Pernambuco mais uma unidade. Atualmente o grupo possui 120 lojas que estão divididas em 12 estados. Desse total, nove são lojas próprias do Grupo, localizadas em Pernambuco, sendo sete em Recife e duas em Jaboatão dos Guararapes, e uma loja franqueada em Abreu e Lima. O Nordeste é um dos principais alvos do plano de expansão da rede de calçados, que tem como objetivo aumentar e fortalecer sua presença na região. A proposta da Di Santinni é oferecer uma loja com o conceito fast fashion que preze por preços acessíveis.

O novo espaço, localizado no bairro de Cavaleiro, será a segunda franquia na região e totalizará 11  lojas da Di Santinni no Estado. A marca oferece sapatos, bolsas, artigos esportivos e acessórios, alinhados com as tendências de mercado.

O faturamento das franquias do setor de acessórios pessoais e calçados obteve em 2011 um crescimento de 13% em comparação com 2010, sendo o quinto segmento em faturamento no país. O crescimento do setor é um atrativo para empreendedores interessados em investir no mercado de franchising, que aumentou 16,9% em 2011, segundo a Associação Brasileira de Franchising. Nesse cenário, o Grupo Di Santinni busca por regiões com potencial de consumo e crescimento para ampliar seus negócios, com o intuito de tornar-se referência nacional na venda de sapatos.

Serviço

Rua Silvino Macedo, 150 – Cavaleiro / Jaboatão dos Guararapes.

Loja B, Sala 110 – CEP: 54250 – 370.

Recife – Pernambuco

Para saber mais informações sobre Di Santinni Design clique aqui.


Grupo Trigo aposta em franquias de lojas com duas bandeiras para crescer no interior

18/12/2012

Modelo store in store reúne marcas Spoleto e Domino’s no mesmo imóvel

De um lado, vários tipos de macarrão complementados com os tradicionais oito ingredientes à escolha do cliente. Do outro, pizzas produzidas por uma das redes mais famosas do mundo. Tudo isso no mesmo lugar.

Desde 2011, o Grupo Trigo tem investido no modelo “store in store”, em que duas marcas de franquias de seu portifólio ocupam um mesmo espaço. Atualmente, dez lojas do grupo operam nesse esquema, com as bandeiras Spoleto e Domino’s.

“São marcas complementares: a Domino’s tem venda maior à noite, enquanto o Spoleto tem no almoço”, explica Henrique Pamplona, diretor de marca do Grupo Trigo. Segundo ele, dentro desse conceito é possível aproveitar momentos de consumo diferentes dos clientes, além de diminuir o tempo ocioso da loja. Em média, o Spoleto é responsável por 60% das vendas, ante 40% da Domino’s.

Outros motivos para adotar o modelo store in store são o alto custo dos aluguéis em todo o Brasil e as despesas com mão de obra. Na mesma loja, as duas marcas dividem mesas, cadeiras, cozinha e até gerente. Com isso, a margem operacional do grupo em unidades compartilhadas é 50% maior que em lojas de bandeira única, de acordo com Pamplona.

O bom desempenho também viabiliza a expansão do Grupo Trigo em cidades com até 100 mil habitantes, onde suas franquias ainda não estavam presentes e o risco de investimento diminui com esse modelo.

A estreia ocorreu nesta quarta (12), em Três Rios (RJ), município com 77 mil habitantes entre as capitais Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Localizada no centro da cidade, a nova loja tem 200 metros quadrados divididos em dois andares, salão com 100 lugares em área envidraçada e vista para a praça principal da cidade. O franqueado investiu R$ 1 milhão.

A expectativa é abrir inaugurar 15 lojas no modelo store in store até o final de 2013 em cidades menores, próximas às capitais. Duque de Caxias, Macaé, Campos (RJ) e Taguatinga (DF) têm o perfil e estão na meta. Com 321 lojas Spoleto, 53 Domino’s e 40 Koni Store, as lojas de bandeira dupla respondem por menos de 3% do faturamento do grupo, mas o objetivo é alcançar de 20% a 30% de participação em três anos.

Para saber mais informações sobre o Domino’s clique aqui.

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios