Nova franquia de comida árabe mira os shoppings

13/12/2011

Empresa investe nas praças de alimentação e quer conquistar as classes mais altas para chegar a 100 unidades

Sergio Castro/AE

A maior rede de restaurantes de comida árabe do mundo é brasileira – trata-se do Habib’s, com mais de 350 lojas no País. A presença de um gigante no mercado nacional, entretanto, não impediu que um pequeno restaurante paulistano, especializado na mesma culinária, traçasse um plano ambicioso: abrir 100 lojas até 2014, também pelo sistema de franquias.

Para atingir a meta, o Espaço Árabe adotou uma estratégia de crescimento que segue em direção oposta à famosa rede franqueadora. “Eu não quero brigar com o Habib’s”, enfatiza Maurício Salla, diretor da marca.

A proposta do Espaço Árabe, segundo o executivo, é preencher uma lacuna de mercado. “Percebemos que não havia redes de culinária árabe em praças de alimentação de shoppings center e enxergamos aí uma oportunidade”, conta Salla. “Além disso, nosso foco são as classes A e B. Portanto, nem sequer considero o Habib’s como concorrente.”

O restaurante Espaço Árabe foi fundado em 2003, na Rua Oscar Freire, em São Paulo. Era um negócio familiar, chefiado pelo imigrante sírio-libanês Elias Sabag. Mas em 2009, já consolidada no mercado gastronômico paulistano, a marca chamou a atenção do fundo de investimentos Endurance Capital Partners, que procurava oportunidades no ramo de alimentação.

O fundo adquiriu 70% da empresa e, de lá para cá, já investiu R$ 7 milhões na formatação da rede de franquias e abertura de novas lojas. Hoje, o negócio conta com 12 unidades próprias e três franqueadas.

O restaurante da Oscar Freire foi mantido como uma espécie de loja-conceito da marca. Lá, os pratos são servidos à la carte e o cardápio tem uma variedade maior. O modelo, entretanto, não foi replicado nas franquias, que pedem sistemas mais compactos, de baixo investimento.

Formatos distintos

Além de lojas em praças de alimentação, o candidato a franqueado também tem a opção de abrir um quiosque ou mesmo uma loja de rua (este modelo ainda está em fase de teste). O investimento mínimo é de R$ 185 mil para o quiosque, que tem entre 9 e 16 metros. E a rentabilidade de todas as operações, segundo a empresa, varia entre 18% e 22%.

O cardápio nas franquias mantém alguns dos pratos oferecidos no restaurante da Oscar Freire, porém, em porções menores. Isso explica porque o ticket médio varia entre R$ 9 e R$ 16 nessas unidades, menos da metade do gasto que os clientes costumam ter no restaurante.

Outra mudança está no preparo dos alimentos. A rede mantém hoje uma cozinha central que atende às unidades com os pratos congelados. Nas lojas, o produto é aquecido e fica pronto em até três minutos.

O diretor do Espaço Árabe, Maurício Salla, acredita que os clientes que frequentavam o restaurante da Oscar Freire não devem estranhar as novidades apresentadas da marca. “São momentos de consumo distintos, o cliente sabe fazer esta diferenciação.”

Planejamento

A única preocupação da rede atualmente é acelerar o crescimento. “Precisamos conquistar espaço nos principais shoppings do Brasil para criar uma barreira de entrada para concorrentes diretos”, afirma Salla. Em 2012, a meta é abrir 40 lojas. As regiões Sudeste e Nordeste são os principais focos da empresa. “A demanda também parte dos shoppings, que querem uma rede árabe em suas praças de alimentação.

E os resultados que o Espaço Árabe conquistou até agora já fizeram o fundo de investimento Endurance Capital Partners perceber que encontrou um nicho de mercado promissor. Por isso, Salla admite que pode criar uma outra rede de comida árabe no futuro, desta vez voltada para consumidores da classe C – o que obrigaria a empresa a, enfim, enfrentar o Habib’s.

fonte: Estadão PME

image

icone-facebookicone-twittericone-linkedin

Anúncios

Opções de franquias que começaram em 2011

10/11/2011

Investir em uma marca nova no mercado pode garantir benefícios como descontos, melhores pontos comerciais e preferência para abertura de lojasSe investir em uma franquia conceituada pode trazer vantagens como a consolidação do modelo no mercado,optar por uma empresa novata pode ser ainda melhor. No setor de franquias, as redes iniciantes oferecem benefícios como desconto ou isenção de taxas contratuais, possibilidade de escolha dos melhores pontos e preferência para abertura de lojas. E mais: elas também facilitam o sonho do próprio negócio, já que as marcas tradicionais chegam a ter até mesmo fila de espera para abertura de novas unidades.

Oportunidades não faltam. Só no ano passado surgiram 212 novas franquias no mercado, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF). E o mercado deve seguir aquecido em 2011, com previsão de crescimento de 15%. No entanto, como todo novo negócio, as franquias iniciantes também exigem cuidados por parte dos candidatos a franqueados.O diretor executivo da ABF, Ricardo Camargo, diz que o primeiro passo antes de aderir a uma nova marca é conhecer de perto o negócio. “Se for uma empresa estrangeira, é importante conhecer a sede ou alguma operação mais próxima do interessado. Se for nacional, o candidato a franqueado deve visitar a operação e avaliar se a empresa tem condições de se sustentar”, diz.Além de conhecer de perto o funcionamento da companhia, o investidor deve pesquisar também o currículo dos representantes da marca. “A ideia é entender quem está por trás do negócio, qual a estrutura e a experiência dessas pessoas no segmento em que estão atuando”, diz a diretora da Franchise Store, Filomena Garcia.

Fazer uma pesquisa sobre o mercado no qual a companhia atua e ler com atenção o estudo feito pela própria franquia também são atitudes importantes antes do fechamento do contrato. Na circular de oferta de franquia todos os detalhes da negociação devem ser detalhados para respaldar as duas partes no caso de divergências.Em compensação, é possível negociar pontos de venda e até mesmo facilidades no pagamento com as franquias que estão entrando no mercado. “A tendência é as marcas oferecerem um contrato mais favorável aos primeiros franqueados, com desconto ou maior prazo para pagamento da taxa de franquia, por exemplo”, explica Camargo. Se a marca expandir, os primeiros franqueados têm preferência para abrir mais unidades. “A melhor hora de investir em uma franquia é no começo, para crescer com ela”, afirma o diretor da ABF.

Entre as novidades que surgiram no mercado neste ano, há desde negócios no ramo de alimentação até franquias de call center. Confira abaixo uma lista com dez empresas que aderiram ao franchising em 2011*:

 

Net call center

Combina a prestação de serviços de contact center e venda de softwares inteligentes para call centers

Ano de fundação: 2001

Unidades próprias: 1

Unidades franqueadas: 1

Taxa de franquia: R$ 100 mil

Retorno: 36 a 48 meses

Investimento mínimo: R$ 250 mil

Faturamento médio: R$ 125 mil

Mais detalhes na internet

Laffa kebab store

Kebaberia

Ano de fundação: 2009

Unidades próprias: 2

Unidades franqueadas: 0

Taxa de franquia: 40 mil

Retorno: 18 a 24 meses

Investimento mínimo: R$ 290 mil

Faturamento médio: R$ 75 mil

Mais detalhes na internet

Rosso Pasta e Grill

Fast food especializado em carne e massas

Ano de fundação: 2008

Unidades próprias: 1

Unidades franqueadas: 0

Taxa de franquia: R$ 50 mil

Retorno: Até 36 meses

Investimento mínimo: R$ 430 mil

Faturamento médio: R$ 100 mil

Mais detalhes na internet

Fórmula Academia

Academia premium com conceito de baixo custo e preço

Ano de fundação: 2010

Unidades próprias: 1

Unidades franqueadas: 2

Taxa de franquia: R$ 100 mil

Retorno: A partir de 36 meses

Investimento mínimo: R$ 800 mil

Faturamento médio: R$ 100 mil

Mais detalhes na internet

Espaço árabe

Fast food de culinária árabe focada no público A e B.

Ano de fundação: 2003

Unidades próprias: 11

Unidades franqueadas: 0

Taxa de franquia: R$ 35 mil

Retorno: 24 meses

Investimento mínimo: R$ 310 mil

Faturamento médio: R$ 70 mil

Mais detalhes na internet

Deny Tennis

Acessórios pessoais e calçados

Ano de fundação: 1970

Unidades próprias: 0

Unidades franqueadas: 19

Taxa de franquia: R$ 40 mil

Retorno: 24 meses

Investimento mínimo: R$ 400 mil

Faturamento médio: R$ 120 mil

Mais detalhes na internet:

image

icone-facebookicone-twittericone-linkedin


Franquia Espaço Árabe, uma ótima opção em franquia

07/11/2011

1ª rede de franquias no formato fast food de culinária árabe focada no público A e B. O modelo operacional de loja Espaço Árabe é simples, enxuto em número de funcionário.

A primeira unidade da rede foi aberta em 2003 na conhecida Rua Oscar Freire em São Paulo para satisfazer a demanda por um restaurante especializado em receitas árabes. Nos anos seguintes, a empresa passou a se concentrar em um formato de atendimento rápido sem abrir mão da qualidade de seus produtos. Este formato se mostrou um grande sucesso em termos rentabilidade e de aceitação do público. No ano de 2009, após vislumbrar o enorme potencial da rede, uma gestora de fundos de investimento adquiriu participação da rede, não somente aportando capital, mas também se tornando ativo na gestão e no plano de crescimento sustentado da empresa. O que era para ser apenas um hobby foi crescendo e a empresa é hoje uma reconhecida rede de fast food árabe e referência em seu segmento pela excelente qualidade de seus produtos e atendimento.

image

icone-facebookicone-twittericone-linkedin


Evento sobre o segmento de ALIMENTAÇÃO e as oportunidades de investimento

06/09/2011

Se você ainda não conseguiu participar dos eventos sobre os segmentos, que a Franchise Store realiza, aproveite para participar do último evento, do segmento de ALIMENTAÇÃO, do ano.

São as últimas apresentações no ano sobre os SEGMENTOS DE MERCADO. Participe!

Confira o convite abaixo e confirme sua presença! Aproveite para convidar os seus amigos, eles podem estar interessados em investir em uma franquia!

Alimentacao

imageicone-facebookicone-twittericone-linkedin