2013 promete ser um bom ano para empreender

28/12/2012

*Por Filomena Garcia

Em um artigo anterior abordei as significativas mudanças que aconteceram em 2012 no mundo do empreendedorismo, como o início da mudança do perfil dos empreendedores, o lançamento de novas marcas e conceito de negócios. Mas, e para 2013? Quais são as perspectivas para o ano que está por vir?

Acredito que quem desenvolver sua veia empreendedora em 2013 terá um ótimo ano. Com a proximidade de eventos de âmbito internacional que acontecerão no Brasil, como a Copa das Confederações em 2013, a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas de 2016, o que não vai faltar é oportunidade de investimento em diversos setores.

Impulsionados por esses eventos, os segmentos do franchising que deverão crescer com importante destaque em 2013 serão principalmente os setores de alimentação, serviços, saúde e beleza, esse último devido à busca do brasileiro pela longevidade com saúde.

Mas, caso o empreendedor não tenha perfil para operar em uma dessas áreas, outros segmentos que prometem se destacar no próximo ano são construção, hotelaria, entretenimento, mobilidade, comunicação, logística e educação.

Marcas internacionais investem no país

Outro ponto que podemos ressaltar é o investimento de marcas internacionais no país. Devido ao ótimo momento econômico que o Brasil atravessa, várias marcas estrangeiras apostam na abertura de unidades em território nacional para a expansão da rede. Este ano já pudemos observar um aumento de marcas internacionais no país, em relação a 2011.

Em 2013, o interesse de empresários por realizar negócios no Brasil só tende a aumentar. Além do bom momento econômico que o Brasil apresenta, outro atrativo para as marcas estrangeiras apostarem no país é a excelente capacidade do empreendedor brasileiro de execução, de desenvolver novas oportunidades e de administrar grandes negócios.

E essa capacidade de administrar e gerir um negócio vem dessa transformação do perfil do empreendedor. Este ano observamos que o empreendedor que vem sendo atraído pelo franchising não está em busca somente de ter um único negócio próprio, mas sim  de poder investir e crescer com várias unidades de uma mesma marca, e para isso, esse novo empresário agrega toda a sua expertise desenvolvida como executivo em marketing, finanças e gestão de pessoas, ampliando assim suas possibilidades de sucesso.

Mulheres e jovens aumentam participação nos negócios

Outra mudança no perfil do empreendedor que impactou de forma positiva o mercado em 2012 foi o aumento de mulheres e jovens apostando em suas capacidades e investindo cada vez mais em franquias. E em 2013 a perspectiva é que esse novos empreendedores estejam cada vez mais presentes a frente dos negócios.

No final de dezembro, costumamos fazer nossas resoluções para o ano que está por vir, tanto no campo profissional quanto pessoal. Após uma reflexão, quem sabe 2013 não será somente um ótimo ano para o empreendedorismo no Brasil, mas para você  empreender também!

Desejo ótimas festas a todos e um ano de 2013 com muito empreendedorismo na veia!

Filomena_Garcia

*Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, é especialista em marketing e atua há 20 anos nas áreas de negócios, varejo e Franchising. É co-autora dos livros “Franchising – Uma estratégia para expansão de negócios e “Marketing para Franquias”

Fonte: UOL

Anúncios

Copa do Mundo e Olimpíada geram corrida por oportunidades

27/12/2012

*Por Filomena Garcia

Desde de 2011, notamos que alguns segmentos relacionados a serviços estão se destacando na preferência do empreendedor. As oportunidades ligadas à saúde, beleza, turismo, esporte figuram hoje entre as mais procuradas pelas pessoas que buscam abrir seu primeiro negócio.

Um dos fatores para esse movimento do mercado é a proximidade dos dois eventos esportivos mundiais que serão sediados no Brasil nos próximos anos: a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

De acordo com uma pesquisa desenvolvida pela Ernest & Young, estima-se que os investimentos para a realização desses eventos gerarão uma renda da ordem de R$ 63,48 bilhões.

O tamanho desse bolo tem mexido com o espírito empreendedor de muitas pessoas que, decididas a abocanhar a sua fatia, têm procurado investir em negócios ligados ao esporte, como escolas de futebol, lojas de tênis, artigos esportivos e academias. O setor de turismo e hotelaria é outro que também vem ganhando bastante atenção dos investidores.

Empreendedor deve estar atento ao mercado local

Além de movimentar a economia local, eventos dessa magnitude são responsáveis por gerar ótimas oportunidades não só para quem deseja começar a operar seu primeiro negócio, mas também para quem já atua no mercado.

Não é necessário, porém, aguardar por eventos dessa magnitude para descobrir grandes oportunidades. O empreendedor deve estar sempre ligado no que acontece em sua cidade ou mesmo no bairro em que atua.

Deve procurar conhecer as datas comemorativas da região e entrar em contato com a prefeitura ou com entidades de classe para se informar sobre eventos locais, como festas típicas e feiras.

Muitas vezes, esses eventos regionais já são capazes de produzir alterações significativas no comportamento do consumidor, impulsionando a demanda e proporcionando ótimas oportunidades para aumentar o faturamento do seu negócio.

Com base nessas dicas, você conseguiria identificar as oportunidades que estão ao seu redor e traçar uma estratégia para aproveitá-las?

Filomena_Garcia*Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, é especialista em marketing e atua há 20 anos nas áreas de negócios, varejo e Franchising. É co-autora dos livros “Franchising – Uma estratégia para expansão de negócios e “Marketing para Franquias”

Fonte: UOL


Franquias de bijuterias têm investimento de R$ 60 mil a R$ 320 mil; veja opções

21/12/2012

As redes de franquias de bijuterias encontram um mercado amplo, para um público diversificado com produtos clássicos ou mais joviais. Os modelos de negócios variam. Vão desde quiosques a lojas de rua e em shopping centers. E o investimento inicial para abrir uma unidade franqueada é a partir de R$ 60 mil.

Uma pesquisa da Franchise Store feita com 24 mil investidores em 2011 aponta que o segmento de acessórios, que inclui bijuterias e calçados, foi o terceiro mais procurado. De 2006 a 2011, o faturamento do segmento cresceu 271%, segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising).

Para abrir um negócio no formato loja, há opções de R$ 260 mil, como a marca Nina Fiori; e R$ 320 mil, como a Empório Bijux.

Unidades começam a se especializar em produtos

Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, diz que o mercado de moda, em geral, tem crescido no Brasil, o que favorece as franquias de bijuterias. “Está havendo a entrada de novas marcas e novos modelos negócios. Inclusive, já há uma tendência a ramificação, com redes especializadas em anéis ou em presilhas, por exemplo.”

Para os interessados em ter uma franquia do segmento, ela diz que dedicação e afinidade com a área é fundamental. “O dono tem que estar presente no ponto de venda, mesmo que seja uma marca famosa. Isso motiva a equipe e pode agilizar decisões junto ao consumidor final”, declara.

Pesquisar o franqueador, ver sua experiência no varejo e o suporte que oferece aos franqueados também são ações úteis na hora de escolher a franquia. Optar por uma rede que ofereça treinamentos contínuos e faça um trabalho de marketing pode ajudar no sucesso do negócio, inclusive em momentos de baixa do mercado, segundo Garcia.

“O franqueador tem que estar antenado nas tendências de moda nacionais e internacionais. Se a marca estiver bem posicionada junto ao seu público, seu produto não será considerado supérfluo. Oferecer programas de fidelização e estar na vanguarda do segmento também ajuda a enfrentar as horas de dificuldade do mercado”, afirma.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

Fonte: UOL


Qual o seu perfil na hora de empreender: investidor ou operador?

13/12/2012

*Por Filomena Garcia

Muitos empreendedores, em busca de um “plano B” para garantir seu futuro e estabilidade financeira, optam por atuar no mercado de franquias. Mas, ao entrar no mundo do franchising, os empresários se deparam com a seguinte dúvida: qual o melhor perfil para a administração do negócio, o de investidor ou de operador?

Por oferecer diversos modelos de negócio e estar em constante evolução, o mercado de franchising absorve tanto o empreendedor investidor quanto o empreendedor operador. O ideal seria que ambos os perfis estivessem presentes no mesmo empresário, mas caso isso não aconteça, existe a possibilidade da sociedade, pois sócios de perfis complementares aumentam as chances de uma gestão de sucesso e eficaz.

Ter o dono na ponta pode fazer toda a diferença na operação do negócio, mas caso o empreendedor não tenha disponibilidade de tempo nem perfil, ele pode trazer um sócio operador, oferecendo uma participação menor nos lucros.

Alguns modelos de franquia não exigem que o empreendedor esteja focado totalmente no negócio, permitindo que ele atue parcialmente nesse novo empreendimento e possa se dedicar também aos seus outros negócios ao mesmo tempo.

Por apresentar um modelo de negócio estruturado e já testado anteriormente, o franchising oferece um risco de investimento mais baixo quando comparado a um negócio novo, o que permite que um gerente, com experiência no segmento, possa tocar  a operação.

investidor precisa estar ciente que ao contar com o apoio de um gerente para a gestão do negócio, ele não precisará se dedicar muito no dia-a-dia da operação, mas que a pessoa que estará a frente do negócio precisa ser extremamente qualificada.

Atuar no mercado de franquias é investir em economia real, onde o sucesso do negócio depende quase 100% de mão de obra qualificada e dedicação ao negócio, diferentemente de quando se investe em ativos financeiros.

Por outro lado, existem franqueadores que precisam de investidores que também sejam responsáveis pela operação, a famosa “barriga no balcão”. Franqueadores com esse perfil sabem que seu modelo de negócio necessita ter o próprio investidor como operador, por demonstrarem desempenho bastante superior as lojas que são operadas por um gerente que tem menor autonomia para as decisões do dia-a-dia.

Independentemente do seu perfil, investidor ou operador, empreender no mercado de franquias é uma opção para quem busca atuar em um mercado em franca expansão que oferece modelos de negócios para diversos perfis. Basta encontrar aquele que se encaixa de forma mais adequada às suas características e pontos fortes.

Filomena_Garcia

*Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, é especialista em marketing e atua há 20 anos nas áreas de negócios, varejo e Franchising. É co-autora dos livros “Franchising – Uma estratégia para expansão de negócios e “Marketing para Franquias”

Fonte: UOL


Mercado nacional de franchising vive bom momento impulsionado pela classe C

13/12/2012

Considerado o investimento mais seguro por ser um modelo já testado, as franquias movimentaram R$ 88,5 bilhões em 2011

Segundo levantamento da revista AméricaEconomia, o mercado brasileiro de franquias é o maior da América Latina, alcançando 1,8 mil redes, 86,3 mil unidades e gerando 777 mil empregos.

Além disso, o faturamento do setor mais que triplicou nos últimos dez anos, passando de R$ 28 bilhões em 2002 para R$ 88,5 bilhões no ano passado. “O setor de franchising no Brasil está em dos melhores momentos, crescendo por volta de 15% ao ano, e isso mostra que é um mercado já maduro e profissional”, afirma Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store e especialista no segmento.

Muito desse crescimento deve-se à ascensão da classe C, que impulsionou as franquias de baixo custo (com investimento inicial inferior a R$ 50 mil), as quais hoje já representam 17% das marcas de franchising nacional, com destaque para franquias de beleza, ensino e serviços.

“Com a elevação do consumo e o momento da economia, aumenta o poder de quem não tinha acesso, e você vê a classe C aumentando muito, consumindo novidades, e isso faz com que surjam novos mercados a serem explorados em franquias, que já trazem um modelo testado e apresentam menores riscos ao empreendedor”, completa Filomena.

Fonte: Serasa Experian


2012 é o ano do empreendedorismo para mulheres e jovens

04/12/2012

*Por Filomena Garcia

O ano de 2012 se mostrou bastante favorável para o empreendedorismo. A expectativa de crescimento no segmento de franquias deverá ser superada, ficando acima de 15%. E esse crescimento foi benéfico não apenas para a economia, mas para o empreendedor, que pode contar com  modelos novos de negócio para investir.

Esse crescimento refletiu não apenas no aumento de novas lojas em funcionamento, ou no aumento de faturamento. Isso também refletiu de forma positiva para o consumidor, já que agora ele pode contar com uma gama maior de produtos e serviços, além de encontrar sua loja preferida em lugares que até então eram inimagináveis de serem ocupados pelo comércio.

Outra mudança significativa que ocorreu neste ano foi a transformação do perfil do investidor. Em quatro anos na direção da Franchise Store (consultoria de negócios na área de franquias), esta foi a primeira vez que presenciei uma mudança tão expressiva em um curto período de tempo.

O ano de 2012 presenciou o aumento de  mulheres e jovens empreendedores. Até então, a maioria dos empreendedores eram homens acima dos 40 anos. Essa mudança nos apresenta uma nova realidade do que podemos esperar do futuro quando falamos sobre empreendedorismo.

Mulheres e jovens mostraram que graças ao bom momento econômico e às oportunidades geradas por diversos modelos de negócios, a hora de empreender pode ser agora.

Com a chegada do final do ano, as pessoas começam a projetar as resoluções para novo período que está por vir, que podem mudar a sua vida tanto no campo pessoal quanto no profissional, como se matricular em um curso, ou fazer uma atividade física.

Após observar um 2012 tão otimista para a realização de negócios, muitas pessoas, que até então tinham o empreendedorismo como uma realidade distante, começam a enxergar uma nova possibilidade para mudar de vida e entrar em um mercado que apresenta um futuro promissor.

E, se olharmos para o mercado de franquias, a expectativa para o futuro é promissor. Este ano vimos que diversos empreendedores lançaram novas marcas e conceito de negócios, o que possibilita que o novo empreendedor possa escolher entre diversas opções de investimento, que atendam a sua expectativa e estejam alinhadas com o seu perfil, e ingressar em uma rede.

E esse é um dos conceitos mais interessantes do modelo do franchising, pois ele possibilita a ampliação do universo do empreendedorismo. Atualmente existem mais de 2 mil oportunidades de negócios disponíveis em todo o Brasil para quem deseja empreender e ser dono de um negócio.

Após avaliar a ótima performance que o ano de 2012 apresentou para os empreendedores e tudo o que está por vir, será que 2013 não é o seu ano de empreender?

Filomena_Garcia*Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, é especialista em marketing e atua há 20 anos nas áreas de negócios, varejo e Franchising. É co-autora dos livros “Franchising – Uma estratégia para expansão de negócios e “Marketing para Franquias”

Fonte: UOL


Jovens descobrem o empreendedorismo, mas falta de experiência é um risco

23/11/2012

*Por Filomena Garcia

Durante muito tempo, a ação de empreender era exercida principalmente por pessoas acima dos 40 anos, que já possuíam alguma experiência profissional e buscavam um “plano B” para garantir o futuro e a estabilidade financeira. Porém, recentemente começamos a notar que os empreendedores estão cada vez mais jovens.

Uma pesquisa realizada pelo Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada em parceria com a London Business School, o Babson College e, no Brasil, Sebrae e o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), revelou que empreendedores entre 25 e 34 anos representam 22,4%, e entre 18 e 24 anos soma 7,4%. Essa mudança no perfil dos investidores também se reflete no mercado de franchising.

Na Franchise Store, realizamos um estudo e constatamos que no primeiro semestre deste ano, os jovens de até 30 anos, da chamada geração Y nascidos a partir dos anos 80,  representaram 46% e 47% dos candidatos interessados em abrir uma franquia.

Em 2011, a fatia correspondente a essa faixa foi de 37%. Já os candidatos a franqueados entre 31 e 40 anos, que no mesmo período de 2011 representavam 40%, em 2012 chegam a  35%.

O aumento do interesse dos jovens por empreender pode ser explicado pelo perfil dessa geração. A geração Y demonstra ser mais impaciente em relação a resultados e busca estar no topo das decisões muito rápido, o que a faz fugir do plano de carreira nos moldes tradicionais e empreender mais cedo.

O dinamismo do jovem à frente de um negócio pode ser o diferencial para o sucesso do empreendimento, mas é preciso prestar atenção. Por maior que seja a veia empreendedora do jovem investidor e sua formação seja na área de administração ou gestão — o que ajuda no controle do negócio, devido à falta de prática e vivência no mundo dos negócios — , é menor a chance de ele ter passado por acertos e ter superado dificuldades na sua vida corporativa.

Essa falta de experiência pode fazer com que ele desista do empreendimento ao se deparar com a primeira dificuldade.

Uma forma de atenuar esse risco, para você que é jovem empreendedor e pretende ter  vida longa como empresário, é associar-se a pessoas com mais vivência no mundo dos negócios. Sócios de perfis complementares aumentam as chances de uma gestão mais eficaz e de sucesso.

 

*Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, é especialista em marketing e atua há 20 anos nas áreas de negócios, varejo e Franchising. É co-autora dos livros “Franchising – Uma estratégia para expansão de negócios e “Marketing para Franquias”

 

Fonte: UOL