Fórmula Academia – depoimento Luciano Huck

18/01/2012

Luciano Huck, sócio da rede de academias Fórmula, fala sobre o modelo do negócio e como ele está inserido no atual momento do Brasil. Quer saber mais sobre a franquia da Fórmula Academia? Envie um email para formula@franchisestore.com.br.

image

icone-facebookicone-twittericone-linkedin


Bodytech e Editora Globo firmam parceria para lançar revista

24/11/2011

BT Experience aborda temas como beleza, fitness, saúde e gastronomia

 

A Editora Globo será responsável pela produção, edição, distribuição e comercialização da BT Experience, revista customizada da rede de academias Bodytech. A publicação, que aborda temas como beleza, fitness, saúde e gastronomia, tem tiragem de 65 mil exemplares, sendo 55 mil distribuídos aos alunos das unidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia, Brasília e Espírito Santo; e 10 mil vendidos em bancas de todo o País.

A primeira edição tem entre os anunciantes empresas como Pretorian, American Airlines, TAM, Adidas, Fast Shop, LG, Land Rover, Phillips, Nivea, Asics e Frattina.

image

icone-facebookicone-twittericone-linkedin


Luciano Huck inaugura academia ao lado de Angélica

24/11/2011

No dia 18/11, o apresentador Luciano Huck, acompanhado de sua mulher Angélica, inaugurou a academia Fórmula, em Copacabana. Luciano, junto com Alexandre Accioly, Luiz Urquiza, João Paulo Diniz e o técnico Bernardinho, é um dos sócios do empreendimento.

O jogador Fred, Sabrina Sato e Virna foram alguns dos presentes.

image

icone-facebookicone-twittericone-linkedin


Huck vira sócio de rede de academias

25/10/2011

image

o apresentador Luciano Huck é o mais novo sócio da rede de academias Fórmula, que pertence ao grupo Bodytech. Ele também emprestará sua imagem à publicidade da empresa e agirá como conselheiro de exploração de novos mercados, notadamente a cobiçada classe C.

Em regime de franquias com 300 metros quadrados sob um investimento de R$ 700 mil cada, os espaços para malhação terão mensalidades mais acessíveis, entre R$ 89 e R$ 159. A ideia é chegar a 40 unidades próprias em cidades de mais de 1 milhão de habitantes e 120 franquias em todo o País até 2015.

imageicone-facebookicone-twittericone-linkedin


Consumo da classe média extrapola o varejo e invade setor de serviços

25/10/2011
Empresas antes voltadas para classe AB lançam marcas econômicas em busca de novos consumidores

image 

Público amplo – Ainda que algumas prestadoras de serviço tenham feito mudanças de olho no potencial de consumo da classe C, o brasileiro ainda é muito sensível a preço. Assim, consumidores de maior poder aquisitivo acabam também compondo uma parte do público das bandeiras econômicas.

Diante dessa demanda ampla, redes de academias que costumavam atender somente o público de alta renda lançaram unidades mais compactas e baratas. O grupo Bodytech, que oferecia pacotes de aulas em academias a uma mensalidade de 300 reais, lançou a marca Fórmula no Rio de Janeiro, em Copacabana. Como o bairro que comporta classes A, B e C, as mensalidades variam de 89 reais a 180 reais. A empresa pretende abrir mais duas unidades em São Paulo no começo ano que vem e prevê expansão para cidades como Piracicaba, Ribeirão Preto e Bauru, no interior paulista.

Enquanto uma unidade Bodytech tem em média 4.000 metros quadrados ocupados por piscinas, espaços para lutas e danças, além do básico, a Fórmula se espalha por espaços de 400 a 800 metros quadrados e conta com aparelhos de musculação e aulas coletivas de ginástica e aeróbica. “As academias de bairro hoje estão muito maltratadas. Pensamos: por que não criar uma academia do tamanho da de bairro, com equipamentos de ponta, mas com custos enxutos para oferecer um preço competitivo?”, explica Mario Esses, diretor executivo da Fórmula. Com história similar, o grupo Bio Ritmo lançou a bandeira Smart Fit em 2009, com mensalidades que vão de 49 a 69 reais. A academia está presente tanto em Ceilândia, cidade-satélite no Distrito Federal, com público de classe média, como no bairro de alta renda dos Jardins, em São Paulo.

imageicone-facebookicone-twittericone-linkedin


SORRIDENTS INICIA CAMPANHA DE ARRECADAÇÃO DE BRINQUEDOS PARA CRIANÇAS CARENTES

24/10/2011

Ação tem início no Dia do Dentista (25/10) com o objetivo de arrecadar 10 mil brinquedos nas unidades. Assim que o resultado for alcançado, a rede vai plantar mil mudas de árvore em parceria com o SOS Mata Atlântica

A Sorridents Clínicas Odontológicas, rede de franquias referência em odontologia no Brasil, comemora o Dia do Dentista (25/10) com a campanha “Sorridents Plantando Sorrisos”. As clínicas da rede serão transformadas em um grande posto de arrecadação de brinquedos, que serão doados a crianças carentes de entidades próximas a cada unidade. As doações poderão ser feitas entre os dias 25/10 e 30/11 na Sorridents mais próxima.

A meta é arrecadar 10 mil brinquedos. Alcançado o objetivo, a Sorridents vai plantar mil mudas de árvores em parceria com o SOS Mata Atlântica. “Na campanha social deste ano, resolvemos proporcionar um Natal mais sorridente para as crianças da comunidade onde estão inseridas as nossas clínicas. Além disso, a Sorridents é uma empresa que se preocupa com o meio ambiente, por isso, vai contribuir com o “sorriso” do planeta”, explica Cleber Soares, vice-presidente da rede.

Mais sobre

www.sorridents.com.br

A Sorridents foi fundada em 1995 no bairro de Vila Císper, zona leste da capital paulista, pela dentista Carla Renata Sarni. Hoje, a Sorridents é a maior rede de clínicas odontológicas do País com mais de 170 unidades negociadas pelo Brasil.

O foco voltado para ações sociais é uma das marcas da rede de franquias. Crianças são atendidas por equipes de dentistas voluntários do projeto "Adote uma criança Sorridents", realizado especialmente em bairros mais carentes das cidades em que a rede possui clínicas em operação.

Mais Informações à Imprensa:

Ideias & Efeito Assessoria de Comunicação

Silvia Curado – silvia@ienoticia.com.br

Paula Yokoyama – paula@ienoticia.com.br

Renata Noschesi – renata@ienoticia.com.br

Tel.: (11) 3277-8252 / (11) 9994-5698

imageicone-facebookicone-twittericone-linkedin


Grandes redes criam academias de baixo custo; preços vão de R$ 49 a R$ 180

06/10/2011

Grandes redes estão criando academias de baixo custo e atraindo um público que não tinha o hábito de se exercitar. O Grupo Bodytech lançou duas unidades da Fórmula no Rio de Janeiro e vai abrir outras duas em São Paulo no ano que vem. As mensalidades partem de R$ 89

image

O grupo Bodytech vai abrir, no primeiro trimestre de 2012, duas unidades da Fórmula em São Paulo –uma própria, na zona sul da cidade, e outra por meio de franquia, em bairro ainda a ser definido.

O valor da mensalidade varia de R$ 89 a R$ 180. Para efeito de comparação, nas unidades da Bodytech o preço médio é de R$ 300.

O diretor-executivo da rede Fórmula, Mário Esses, diz que as unidades da Fórmula têm entre 400 m² e 800 m² e oferecem o que uma academia tradicional de bairro costuma ter: bicicletas, esteiras e equipamentos para exercícios de musculação, além de algumas aulas coletivas, como a de spinning.

Apesar de possuírem equipamentos semelhantes, têm uma estrutura bem diferente das academias Bodytech, que chegam a se espalhar por 4.000 m² de área e se assemelham a um clube, com piscinas, aulas de dança e lutas e atendimento ao público infantil.

“A ideia é oferecer uma opção para um público que quer mais conveniência por um bom custo-benefício”, diz Esses.

O diretor da Fórmula afirma que a expectativa é levar para a academia uma parte da população que não tinha acesso a bons serviços ou por causa do preço ou porque não encontrava uma boa opção perto de casa.

Duas unidades já estão em operação no Rio de Janeiro e outras duas serão abertas na cidade no ano que vem. Campinas, no interior paulista, também vai sediar duas academias.

Setor tem grande potencial de crescimento

A estratégia das empresas é baseada nos números do setor, que mostram que ainda há grande potencial de crescimento no país. Existem hoje, no Brasil, 18.195 academias, segundo os dados da associação que representa o setor. O número só é superado pelo dos Estados Unidos, onde existem 38 mil estabelecimentos.

A quantidade de alunos, porém, ainda é relativamente pequena: com 190 milhões de habitantes, o Brasil tem apenas 5,4 milhões de pessoas frequentando academias. É praticamente o mesmo número de alunos do Canadá, que tem uma população de 35 milhões de pessoas.

http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2011/10/06/grandes-redes-criam-academias-de-baixo-custo.jhtm

imageicone-facebookicone-twittericone-linkedin